Oi, Pinguim!

Demorei tanto pra editar o último post que decidi fazer um novo /risos

Mas, voltando àquele post:
Agora entendi o porquê Qui-Gon chamou-me a atenção sobre minha nota no trabalho 2.
Eu não tirei uma das 10 piores notas no trabalho.
Eu tirei a pior nota.
Tanto nesse trabalho quanto na prova de CB.
É aquela coisa: CB não é difícil. O que eu aprendi com ele e com a professora mesmo… Cara, é tudo muito tranquilo; se não fosse, eu nem consegueria fazer os deveres direito.

Mas, é aquela coisa: estou bem acostumada a tirar notas baixas; nada muito diferente do Sigma. Só que, no Sigma, me passavam de ano por me acharem uma aluna esforçada. Não creio que esforço seja levado em conta na universidade, então, rodei CB.
Mas, uma coisa me deixou mais chateada do que me ver como a pior da turma: a professora falando isso.
Acho que deve ser o método dela pros alunos sentirem vergonha e começarem a estudar. Mas, pô, eu estudo. Sou uma das poucas alunas que entrega todos os deveres. Todos.
Não precisava ter falado que muitos alunos foram abaixo do esperado “Né, [fala o nome dos dois piores, um deles sou eu]
É claro que eu fico com vergonha de tirar notas baixas. Não sou do tipo fanfarrão, não falo na sala (e em lugar nenhum /risos). Pergunto somente quando estou com dúvida mesmo (isso se a pessoa do lado não souber também).
Poha.
Não precisava ter me exposto assim. Já me sentia humilhada o suficiente (tirar uma nota menor que a do Jon Antilhes foi… Extremamente humilhante, devo dizer).

E acho que rodei Cálculo. Eu num tenho nada contra a matéria (na verdade, a única matéria que abomino é Química, mas que bom que eu não a tenho). Não acho tão TÃO TÃÃÃÃO difícil assim. É complicadinho e, como não sou auto-ditata, tem muitas coisas que eu num pego com facilidade e a monitoria de Cálculo é só das 19:00 às 20:00, horário muito contra-mão pra mim e pras minhas caronas.
Sinto falta dos Plantões de Dúvidas do Sigma. Talvez só me achavam esforçada por eu, praticamente, morar lá.

E acho que rodei Física. Odeio cinemática, isso é fato. Num gosto de vetores nem de bolinhas e suas velocidades. Mas num é grego, tem uma certa lógica.

E acho que rodei Física Experimental. Nada faz sentido naquele troço. Nada! Cálculo de erro, não importa qual erro, é algo muito disconexo!

O que? Vou ser caloira semestre que vem de novo, exceto em LPT e inglês?


Uma coisa que acho impressionante no Onigiri… Os moradores.
Na Gincana do Onigiri, em que os desafios eram difícieis, eu pensei mesmo que ia ter desistência de certas pessoas e talz. Mas, ainda assim, muita gente participou e com afinco.
Quando eu errava as contas na tabela de pontuação, pensei que nego ia arrancar meu couro e tudo mais, mas até que foram compreensíveis e danaram a rir.
Quando saiu o resultado, eu pensei que muitas pessoas iriam ficar decepcionadas e talz, xingando meio mundo porque trabalharam duro e acabaram perdendo… Mas, não! Na verdade, eles parabenizaram os vencedores e acharam uma vitória justa!
Cara, eu fico chocada e sinto inveja dos moradores. D8 É quase uma sociedade utópica aquilo lá.

Eu e a Kih andamos conversando sobre o quão difícil tá pra gente cuidar de todo o Onigiri sozinhas. Aí decidimos meio que fazer uma eleição para monitor do Onigiri. Acho que nos aliviará bastante se uma terceira pessoa (que muda periodicamente) cuidar de umas das páginas que mais precisam ser cuidadas: Porta ao Lado.
Na verdade, o monitor cuidará somente dela pra não ficar sobrecarregado, enquanto eu e a Kih pensamos numa maneira esperta de se ter um armário.
E pensamos no Onigiri Wars.
E terminamos de consertar os freelayouts doados.
E sabe o que está acontecendo? Blogs de campanha para ser monitor.
Achei simplismente fantástico e morri de inveja de novo. xD


  • Matei o Windows
  • Sim, eu literalmente matei minha partição do Windows, sobrando-me apenas a do Linux. Eu estava muito curiosa pra saber no que mais o Cygwin podia fazer e comecei a escrever aleatoriedades, procurar no Google sobre outros comandos bizarros e…
    E…
    Bom, aí eu deixei meu computador possuído por uma força do mal, travou completamente e tive que reiniciá-lo no braço.
    Quando reiniciei e voltei pro Windows, apareceu uma tela esquisita “O Windows não conseguiu inicializar normalmente. Consertando erros“.
    E mais coisas bizarras começaram a aparecer e…
    E…
    E AÍ O AZUL DA MORTE!!1!

    E aí eu corri pra minha partição do Pinguinzinho. Não, eu não traí o movimento, eu só…
    Bom…

    O QUE? É ASSIM QUE A GENTE APRENDE A MEXER NAS COISAS!!1! NÃO É CULPA MINHA!! OwÓ

  • Você saiu do Labirinto no Windows
  • Uma das alegrias dos calouros do CIC é ver o Trabalho 3, que é uma espécie de jogo, funcionando.
    O deste semestre era fazer um simulador de labirinto, em que o usuário grava num arquivo texto qualquer labirinto e nosso programa tinha que mostrar o menor caminho E FAZER O BICHINHO ANDAR pelo menor caminho.
    Vou falar pro monitor que irá corrigir esse trabalho que meu programa funciona perfeitamente bem no Windows. Acabei de ver que, no Pinguim, ele buga numas partes estranhas.
    Mas… Mas… *w*
    Olha aqui ele dizendo oi pra você!
    Olha ele te mostrando o menor caminho!
    ESTÁ VIVO!!1!
    Deu muito trabalho pra fazer, mas foi tão… Tão… Emocionante vê-lo vivo… *cry*

  • Roxas procurando músicas no Youtube
  • O que? Eu realmente não sou fã de músicas mesmo.

    Pra fazer os deveres, eu sempre ligo o pc, coloco fone e faço aqui no quarto mesmo, ouvindo Rádio Blast.
    Teve um bloco, que não sei o nome nem sei o locutor, que me chamou a atenção.
    Vi lá na rádio que música tava tocando e digitei no Youtube listas de reprodução daquela banda.
    O nome: Nightwish.

    Pelo o que me falaram, estou do gostando do mais pop do metal (acho que se chama Metal Melódico, mas não estou muito interessada nisso). Pô, achei tão legal aquela mulher com um puta vozeirão “The Phantom of the Opera” e… E…
    Vocaloid pra sempre. É único que me motiva a fazer cambiarras e entrar no NicoNico procurar novas músicas e procuras novos animes de 5 minutos.

    É. Ouvindo e procurando músicas de Nightwish. Das listas de reprodução no Youtube, tenho escutado muita música repetida. D8 Que saco.


    O Keshigomo está com uma coleção de layouts na página principal! xD O último que ganhei foi da Julia e achei muito gracinha. x3 Não entendo porquê esses nekos me lembram Lamento, um jogo yaoi.
    /risos
    PS: Eu vou responder os comentários assim que o fim de semana chegar. Segurem a peteca.

    Feliz dia de Akuroku


    E o motivo que não postei ontem propriamente dito foi porque eu estava aproveitando o dia para viadage.

    É!! AKUROKU!! FELIZ DIA DE AKUROKU, PESSOAS!!!
    Para os hereges, vou explicar porquê o dia de Akuroku cai em 13 de Agosto.
    Axel é o número 8 da Jyuusan Kikan (Organization VIII).
    Roxas é o número 13.
    No Japão, o mês vem antes que o dia, portanto, ontem foi lido como:
    2010/08/13
    2010/Axel/Roxas
    2010/Akuseru/Rokusasu
    2010/Aku/Roku
    Yey! Espero que tenham aproveitado seu dia de viadage.

    Eu, pelo menos, pintei um desenho de Akuroku muito lindinho de umas das minhas artistas preferidas, a Nijuuni.
    E eu até falei com ela, sabia? Perguntei se podia postar o desenho de Akuroku dela pintado por mim.
    Mas, sabe o que aconteceu? *w*
    Ela me ignorou e não disse nada. CARA, EU FUI IGNORADA PELA NIJUUNI!! ELA SABE QUE EU EXISTO!! *dead*
    Aí eu postei o no DA mesmo assim, feliz da vida!
    Ahhhh…
    Mais alguns passos, e um dia eu consigo dizer pra I’ll be Waiting que eu a idolatro como deusa grega. Óh!

    Eu realmente ia pintar um dos meus doujins preferidos, o Colorfull Sky (doujin lemon de Axel, Roxas e Sora) e fazer icons de algumas cenas.
    Mas está tarde e hoje ainda tenho aula.
    Bom! É Akuroku day! A professora vai me perdoar por não ter feito o dever de japonês.


    Tem ainda coisas que quero falar neste post, mas dou-lhe um edit mais tarde.
    Quero falar de outra coisa.

  • Eu e minhas recaídas e indagações filosóficas.
  • Porque mesmo que eu havera prometido não pensar mais em certos assuntos, em momentos de ócio ou tensão, eu volto a refletir sobre.

    Uma das minhas recaídas foi sonhar com a XX novamente.
    Na verdade, tem muitos dias que venho sonhando com ela. Não como meus sonhos eróticos que nem o do Rei das Succubus, mas ainda assim com outros sentidos.
    Tipo, quando estávamos juntas, eu havia falado de brincadeira que, se tudo der errado, nós fugiríamos pro Chile no Ricardão (meu fusca rosa) junto com todo o resto da família do Sigma (pelo que me lembro, acho que tinha 2 filhas e um animal de estimação. Só não cito nomes porque é vergonhoso pra essas pessoas).
    Mas o mais estranho é que já desencanei há muito tempo que, quando estávamos juntas, ela tinha vergonha de mim por eu ser mulher, a tal ponto que meus amigos me davam mais carinho pra mim que ela.
    Também quando vou numa livraria, pergunto-me se a XX já havia lido o livro que estava procurando.
    Bom, ainda somos amigas, mesmo não nos encontrando muito no MSN.

    Uma das minhas ingagações é decidir meu sexo.
    É simplismente inacreditável. Tem dias que acordo falando “YEY! Sou hetero!”. Outros dias, “YEY! Sou gay!”.
    Tá, isso num é bem uma recaída. Talvez seja uma confusão na minha cabeça.
    Mas sou muito feliz sendo um bonequinho de The Sims, obrigada.

    Outra coisa que tenho pensado é de chutar o balde e dizer que você é um stalker, já que não disse antes.
    Você sabe que estou falando de você. Não você, outras pessoas.
    Você, você aí que sei que lê meu blog também.
    Bom, como tô virando a macaca aqui no blog, tão vou deixar todo mundo que se interessa pela minha vida sabendo.
    O senhor tem namorada. Em hipótese nenhuma o senhor deve sentir “ciúmes” DE MIM por eu conversar com outros caras. Saiba que isso me deixou bastante pertubada. Na verdade, acho repugnante que o senhor tenha sentido isso namorando outra pessoa. Como fica a situação dessa menina? Nessas ocasiões, o senhor deve pensar APENAS na pessoa que disse “eu te amo”! Ou o “eu te amo” pra ela foi falso?! Isso é uma atitude horrível, deve-se envergonhar disso!
    Eu sou mais desligada do que você pensa. Eu realmente “não mexo o cabelo” para seduzir, e sim pra desembaraçar os nós. Sou mais anti-social que imagina, então eu realmente não me encomodo de andar pela UnB sozinha.
    Não como doces, não como comida natural, não faço tipo “lobo-solitário”, não faço tipo “kawaii”, não faço o tipo “forte”… Não faço NADA do que você imagina que faço. Com certeza, o senhor se enganou a meu respeito.
    Quando eu estiver indo embora das aulas, não me siga.
    Mesmo.
    Eu estou ficando irritada com esta situação. O senhor realmente está aparentando que quer se aproveitar de mim. Mesmo não tendo falado isso e ter negado várias vezes, não é o que está aparentando.
    Eu gosto de ajudar as pessoas, isso é fato. Quando ajudá-las NÃO for me atrapalhar. E o senhor sabe que já foi encômodo em várias situações.
    Então, que a conversa de ontem não se repita. Nem a situação.
    Boa sorte com os estudos.

    Também tenho pensado em como uma amiga me definiu: um cachorro.
    -Um cachorro? Puxa, mas eu imito tão bem um dinossaurinho de bracinhos curtos..!~~ Por que acha que sou um cachorro? i_i
    Ahhh… Roxy… Porque você é fiel… Obediente… Uma gracinha… Rosna pra desconhecidos, mas vira a barriga pra cima pro dono e amigos…
    Só que dá um puta trabalho pra cuidar.

    -Ahh… Au au.

    E estou começando a achar que essa pessoa que me disse realmente está certo. Sou obediente e fiel, como qualquer cachorro idiota é.
    Já tive várias vezes de ignorar a “ordem” que me foi dita pra fazer aquilo que quero. Já tive muita, muita, muita vontade mesmo de esquecer o que me disseram e fazer o que quero, não necessariamente o certo.
    Mas eu sou um baka inu, que nem o Saito, de Zero no Tsukaima.
    Quando fico divagando e andando na UnB, indo pro FT pra usar o wireless dali, raramente encontro o Qui-Gon no caminho.
    E já tive muita, muita, muita vontade de dizer um “Boa tarde” ocasional, mas eu simplismente sigo a ordem de não ser mais amiga dele.
    Talvez se eu voltasse a falar com toda educação com ele de novo (“bom dia”, “boa tarde”, “pode me ajudar em tal matéria?”), provavelmente eu ia acabar perguntando “Mas, diga, truta, o que pescou hoje? Você está em paz? Vamu comer TÊ-MA-KI!!1!” como eu falo pros meus amigos mesmo.
    E isso ia ser um problema pra mim e pra ele.
    E então, eu simplismente baixo a cabeça e fingo que não o vi, continuando meu caminho.
    É um pouco cruel isso comigo.

    Quinta feira teve aula prática de CB e, lá estava eu, encucada com meu trabalho. Outras pessoas também tavam encucadas com os trabalhos, por isso pediam ajuda dos monitores. Só faltava uma coisa idiota pra eu terminar meu trabalho, então não precisava tanto da ajuda dos monitores.
    Quando a aula acabou e estava saindo da sala:
    Senhorita? Falou com a professora sobre seu trabalho 2?
    -Ah. Não vi necessidade. Achei a nota do meu trabalho bastante generosa pelo tanto de erro que cometi.
    E realmente não tinha necessidade. Se eu reprovar em CB, a culpa será totalmente minha for falta de capacidade. Minha nota foi bem baixa e, pelo Qui-Gon tendo me dado a recomendação de falar com a professora sobre o trabalho (que seria para pedir retirar o atraso e aumentar um pouco a nota deste), eu provavelmente tirei entre as 10 notas mais baixas do trabalho 2.
    Mas, se for pra reprovar em CB, reprova por outras coisas, não por atraso! Sua nota podia ter sido melhor!
    -Estou me esforçando no trabalho 3, então tento recompensar a nota.
    Mas, se sua nota for alta no trabalho 3 e 4, pode pedir pra professora reconsiderar os atrasos. Não desanime!
    -Estou me esforçando!
    E eu percebi que estava conversando ocasionalmente. Acho que falei o “estou me esforçando” (ou algo do tipo, não lembro com todas as palavras exatamente o que falei) como anime, então, estava sendo amigável com ele.
    E isso era um problema.
    E minha atitude foi baixar a cabeça, dizer “com licença” e sair andando o mais depressa possível dali.
    Sabe, me senti muito mal depois. Nunca pensei que fosse passar por essa situação: eu não odeio a pessoa, eu tenho quase certeza que a pessoa não me odeia… E não podemos ser amigos.


    Espaço reservado pro resto do post 8D