Quero uma máscara de dinossauro


Primeiro, eu vou responder os comentários. E os passados também. Eu só preciso de uma máquina do tempo ou o Vira-Tempo da Hermione pra eu poder fazer essas coisas.

A culpa, obviamente, é minha. Fui inventar de pegar 7 matérias e estudo todos os dias até às 18:00. Estou empurrando com a barriga a prova de japonês da Escola Modelo e só tenho vida social às sextas a partir das 20:00.


  • Não, Naom
  • Então, os únicos momentos de vida social off que tenho tido é o RPG D&D toda sexta.
    Até que tem sido divertido. /risos

    Eu sou um anão. Me chamo Naom. Sou um anão bêbado.

    Ou seja, para um anão ser considerado bêbado significa que o Naom bebe muito, muito, muito.
    É muito chato interpretá-lo sóbrio.
    A Sora também tá participando. Ela é uma semi-elfo muito gostosa que aposto que tem uma quedinha pelo Naom, yéah. Afinal, quantos pançudinhos vocês conhecem que tem a cara do Papai Noel e que é um amor de pessoa? s2

    Eu antes só havia jogado rpg pelo orkut, na comu Vivo no faz de Conta. Vez em quando lembro da época do Heart of Fire I e II, que foi uma das melhores histórias que eu e negada já havíamos criado. Diferente do rpg, as histórias não tinham mestre nem dados, eram baseadas em “Continue a História” e era tudo improvisado. Eu, basicamente, adorava ver o circo pegar fogo. Como não tinha como não fazer o que tava escrito, eu sempre deixava os personagens overpower em situações contrangedoras. Não só eu quanto a Kah.

    Lá, basicamente as melhores histórias eram as que tinham as seguintes pessoas: Nani Nani (eu), Shad, Chrno, Kah, Dahaka, Deryu, Mandi e Bryan. Tanto é que eram apenas as nossas histórias que tinham mais de 700 postagens e algumas delas com continuações, como a Heart of Fire (a que mais gostei), Wasted Memories, Irmãos de Aquarius (carinhosamente, IDA) e a Sem Nome que era o Crossover de todas essas.

    Depois da comu ter sido invadida e deletada, eu e a Kah tentamos criar outra “Vivo no faz de Conta”, junto com o Shad e Chrno . Não deu muito certo porque nós éramos os únicos que realmente interpretavam naquela poha e não tinha como reescrever a Sem Nome (na época da comu ser deletada, ela estava em produção e nem conseguimos escolher um nome a tempo).

    Após o incidente, nunca mais joguei rpg.

    Por isso, minha interpretação como anão bêbado ainda tá muito ruim, mas espero melhorar com o tempo. Afinal, adoro personagens away.

    Ah sim, o Naom se parece com esse cara aqui: [clique]
    Só que tem uma carinha mais amigável e idiota.


  • Dinossauro e Urso
  • Eu acho que isso decepciona muitas pessoas.

    Quer dizer, depois de ter me vangloriado que “HÁ! Eu tenho uma amizade aberta com um cara! Tomou no cú, manezão!”…
    Eu acabei explodindo.

    O primo da Sora, num momento de tédio supremo um mês atrás me liga:
    Hey, Roxas, que tá fazendo?
    -Jogando PW.
    Tem anime no seu pc?
    -Tenho Kyo Kara Maou e Shakugan no Shana.
    Tem Blazblue no seu pc?
    -Tem.
    Vou passar aí pra jogar.

    Ele mora relativamente longe, mas nada que um carrinho velho não resolva as distâncias.
    Chegando aqui, fomos procurar um bloco para poder ficar jogando Blazblue, visto que o primo da Sora não pode entrar na República.

    Quando chegamos no bloco, ao invés de ficar jogando, ele veio me falar das fics que estava escrevendo. A mais interessante foi a do Negima e a do puta crossover de bandianimes.

    E.
    Do nada.
    Doki-doki.

    Confesso que já havia sentido “doki-doki” antes, apesar de não saber direito o motivo.
    Da segunda vez que fui na casa dele (antes de começar a ser perseguida pela mãe)…
    Bom…
    Eu gosto de carinho.
    Sou uma pessoa muito carente. Também gosto de peitos, mas isso são outros detalhes.
    E devo dizer que, apesar de vez em quando o primo da Sora falar coisas tensas e que, quando faz carinho, parece estar te assediando…
    Bom…

    FUUUUUUUUUUU~~
    No final, não aconteceu nada naquele dia, como as pessoas daqui estão cientes.

    Entretanto, nessa terceira vez, eu explodi com o doki-doki.

    Sim, foi precipitado. Eu admito que foi. Eu não esperava que…
    Bom, estávamos lá, falando de Code Lyoko ou qualquer outro desenho antigo.
    Não, eu não estava prestando atenção no que ele tava falando. /tenso

    -Não prestei atenção. /come pipoca
    HÃ?!
    -Não prestei atenção. /come pipoca
    Ahhhh, não acredito. Pô, isso magoa as pessoas, sabia?
    – /come pipoca
    Desde de quando não está prestando atenção?
    – Do que você tava falando mesmo?
    POHA!!! *chuta*

    E ele, com bom urso, ao invés de chutar, me faz carinho, tentando descobrir onde sinto agonia.
    Eu gosto de carinho, poha!

    -Como você quer que eu não pense sobre isso?!
    Ah, desculpa. Eu gosto de fazer carinho. /bico

    Eu estava alterada. Tava lôca também. Arg.
    A ponto de eu ficar off.

    Já nem tava ligando que tinha um joelhinho de 8/9 anos preso naquelas barras/escadas/não-sei-o-nome-daquilo no parquinho. Tava, simplismente, off.

    A ponto de, do nada, o pedir em namoro.
    É, fiz de novo.
    E, nessa hora, eu ligo. Fico on e falo “Puta merda, o que foi que eu falei?”. Minha primeira reação é pânico. Estava precipitada, não tinha certeza se gostava dele ou não, gostava de sair com ele e com meus amigos porque ele é o meu amigo, mas isso não queria dizer muita coisa.

    Fuuuuuuu~~

    Peço desculpas, pego minha mochila e…
    Aí ele me segurou e me beijou.

    -Hein?

    Não esperava. Foi apenas um selinho rápido, a ponto de eu nem ter pensado pra fechar os olhos. Só sei que, quando acabou, eu fiquei lá, parada.
    Depois, consegui analisar minha situação:
    Estava parcialmente deitada no colo dele, segurando minha mochila com uma mão e o pescoço dele com a outra. Ele estava me segurando pela cintura e, como uma pessoa com uma diferença de uma régua de mim, estava muito curvado.

    -Hein?
    Ah, desculpa.
    -Bwá…

    E… Bom… Parece que isso foi um “sim” a minha pergunta precipitada.

    E… Não foi de todo ruim… É…

    Tem certeza que é isso que você…?

    Aí, bom, outras coisas aconteceram. Não, sem sexo debaixo do bloco, mas outras coisas aconteceram pra eu interromper a frase dele.

    Bom, agora tenho motivo pra ser perseguida pela mãe dele. /risos


  • Dia do basquete
  • Agora tenho 19 anos e não sinto nada de diferente.
    Só que meu aniversário teve coisas além do que eu esperava.
    Primeiro, o Hugo passou o dia inteiro comigo.
    Não, ao contrário das pessoas, eu não tenho o costume de passar o dia inteiro com uma pessoa. Ele me levou pro Luck Strike (não o cigarro, o boliche), convenci-o de jogar pump it, ensinei-o a jogar guitar hero (mas ele joga de canhoto sendo que é destro) e, um dia antes, ele dormiu aqui.
    Foi muito legal até.

    Segundo é que nunca recebi TANTAS plaquinhas num único dia. Me senti muito amada. Muito obrigada à todos. <3


    Vou deixar em ordem alfabética.


    Espero que todos tenham aproveitado o dia do basquete tanto quanto eu aproveitei.

    Só senti falta de uma coisa: não recebi minha máscara de dinossauro.

    Para finalizar, vou deixar aqui a gravação que a Nami fez e que já tinha mostrado pra todo mundo antes.
    E outra, Nami: adorei sua guitarra.

    [EDIT]
    ASOKAOSKAOSKAOSKOAKSOAKSOAKSOAKS

    É O LULU COM MÃOZINHA DIVA!!!
    Olha o lay que a Sofi desenhou pra mim!!1!

    [/EDIT]