Sozinha porque quis

Só tenho ficado pior com o tempo.
Um monstro, basicamente, é como tenho me visto.
Uma maníaca pelo trabalho, que tem que estudar cálculo, que se afastou de todos seus antigos amigos e hoje só possui coleguinhas, que nunca vão brigar comigo.
Tenho reclamado dos antigos amigos, de qualquer forma. Nenhum tá escapando.

Desde que a Kih deixou de ser Síndica, reclamo dela quando o assunto “Kih” é tocado.
E se ela estiver online no momento, eu vou lá e a chamo de “traidora” até eu cansar.
Minha reclamação com ela agora é o fato da capa do jogo, que precisava fazia tempo.
Mas tinha ficado tão incrivelmente chateada que, no dia, ela foi me mostrar como tava, só tinha dois personagens pintados e ela estava correndo pra terminar naquele dia.
“Não, sai daqui. Vai dormi”
“-Mas, Nay, você não precisa disso pra hoje?
“Preciso não, é pra semana que vem. Agora xô.”
Saco.

Tive muitas reclamações com o Hugo, que ele ficava puto quando perdia, que ria de forma estranha, que falava “a gente se vira como pode” quando alguém falava do nosso relacionamento, do tanto que eu insisti pra gente ter passeios mais inocentes ao invés de ir na casa de um e do outro pra jogar video game e, em seguida, dirty danced…
A ponto de eu começar a pensar só em sexo.
Se lembrava dele, lembrava de todas as vezes que ele me deixou chateada e, se falava com ele, pensava em sexo.
Ah, que grande filha da puta que eu sou.
Então tive que terminar e fiquei triste pra caralho durante um bom tempo.

Porém, olha só pra mim agora.
Dia 04 de Junho eu saí com um amigo meu, o Veterano, pra gente ver Piratas 4 e foi engraçado vê-lo tomando susto numa parte do filme e fazendo adivinhações durante o resto.
Depois, ficamos dando um bom passeio no shopping e fugindo da tia e prima que tavam lá também. Eu tava rindo litros.
Aí ele me beijou.

Caramba, como me senti mal na hora. Fiquei com medo, pois, antes desse dia, eu tava pensando muito nele, mas não a ponto de “ah, eu acho que tô a fim dele”… Ou foi a ponto disso… Mas eu não ia tomar atitude alguma, não queria mais problemas pra mim.
Quer dizer, ele realmente tava sendo carinhoso comigo, mas quem sou eu pra negar carinho?! Eu adoro isso! Gosto de fazer cosquinhas nas pessoas porque eu mesma não sinto, logo é engraçado ver, principalmente meus calouros, se contorcendo no chão só por eu ter enconstado um dedo nele (vulgo HD).
Mas seria aquilo carência? Terminei com o Hugo e tava pedindo carinho pro Veterano?

A primeira coisa que pensei “Putamerda, estou usando o Veterano“.
E a primeira coisa que disse foi “Meudeus, que que eu estou fazendo?”.
Tava pensando em pedir desculpas e ir embora dali o quanto antes, não tava aguentando nem olhar direito pra ele.
Porém, eu nem tive vontade de mexer minhas pernas. Parecia que eu queria aquilo mesmo.
Porra, sou um monstro!


Disse à ele o que eu tava sentindo: falei que estava com medo de machucar outra pessoa, porque eu magoei uma pessoa que gostava muito, muito de mim e que estava me sentindo um monstro. Não estava a fim de ficar com ninguém, eu realmente tava com medo de machucá-lo de verdade.
Só que… Só que…
-Você não gosta nem um pouco de mim?
“Gosto, mas…”
-Então. Eu gosto de você também.
“Veterano, não estou a fim de ficar com ninguém. Não acho digno ‘ficar’ e não vou ficar contigo.”
-Nem namorar? Não acho digno ficar.
Eu tenho um fraco por pessoas fofas que dizem coisas fofas em momentos fofos. Foi tipo uma “Hora morango” e acabou que aceitei.

Engraçado que esqueço o quanto estou pessimista quando a gente tá conversando ou divagando sobre assuntos esdrúchulos.
Posso não ter me dado tempo pra esquecer o que fiz com o Hugo, mas fico realmente contente ao lado do Veterano. Ele é fofo e é 93,4% puro segundo o Teste clássico de pureza, enquanto eu sou 82,9%.
Porém…

Chamaram-me a atenção que estou “fácil” demais, que não tenho “jogo de mulher” e que não vou conseguir manter alguém como o Veterano por muito tempo.
Eu não nego carinho. Eu nunca vi motivos para as mulheres fazerem “joguinho” de “ai, hoje não”, “não me beija aqui”, “não segura minha cintura”…
Quando a gente ama alguém, é comum ser egoísta e pensar somente nas duas pessoas, né? Foi o que os animes me ensinaram.
Tão, foda-se que não pode beijar aqui, eu te amo e quero beijar-te e esqueça o mundo à fora. (Obviamente, com os limites. Não estamos na Suécia para poder fazer sexo no parque, porque… Né?)
E eu realmente não tenho “jogo de mulher” pois tenho a leve impressão que não sou uma. Só acho.
O problema foi o que foi falado em seguida:
-Ele pode achar que você é só mais uma. Como é “fácil”, ele logo pode cansar de você, pois, como fica muito tempo abraçada e deitada com ele… Né?
Não quero que ele pense isso. Eu fico deitada, eu fico abraçada, eu dou beijos (seja na bochecha, boca ou pescoço) porque encaro isso como carinho.
Carinho.
Não é carinho? Sempre pensei que fosse.
SIM, AINDA SOU VIRGEM! Por favor…

Incrível como palavras tem me atingido ainda. Essa fase ainda não passou.

Bloguinho, eu gosto de falar contigo sobre meus piores assuntos, tá? Mas não tem só coisa ruim acontecendo comigo. O Caio tem passeado muito comigo, fiz todas as listas de Cálculo e tenho um bando de projetos da UnB pra fazer, ok?
Mas no meu blog eu falo dos piores assuntos, mas isso não me faz depressiva/emo.

Vou voltar ao trabalho.