Baita semestre sofrido

Eu acho que se eu tivesse que trancar algum semestre da unb, eu deveria ter trancado este. Mas aí eu só não me importei.

 

 

Eu fiz poucas matérias. Uma delas, Organização e Arquitetura de Computadores (oac), eu sempre soube, sempre, que seria meu calcanhar de Aquiles. Uma coisa que eu não gosto são circuitinhos, é extremamente baixo nível pra mim E, basicamente, oac são circuitinhos complexos + assembly mips.

Mips, por incrível que pareça, eu consegui pegar a ideia. Fiz um programa relativamente complicado com ele, usando listas e outras ed com eles e abusando da pilha de memória. Não temos uma matéria Introdução a oac, então, mesmo que mips seja “fácil”, engatar na ideia é extremamente árduo. Porém, fiquei bastante orgulhosa dos meus primeiros trabalhos.

 

 

Então chegou as partes dos circuitinhos e minha vida começou a desandar. Acho que nunca contei aqui no Keshigomo, mas eu tenho sofrido de algum mal do sono. Não falo de ficar com preguiça pela manhã ou tirar uma soneca no meio da aula, mas sim de fazer prova e apagar de repente. Ou estar fazendo resumo pra alguma matéria e começar a escrever dormindo. Ou dormir enquanto dirige!!! (Eu parei de dirigir por medo, ok?)

Eu tenho isso desdo ensino médio, mas nunca me atrapalhou esse troço. Porém, com o passar dos anos, esse troço vem ficando mais frequente, e não posso deixar de comentar que eu já passei um semestre dormindo sem querer em todas as aulas de um professor super gente fina (que faz piadinhas e tudo mais) e… E do professor de oac.

Como a primeira parte da matéria é relativamente tranquila em relação com a segunda, eu fui levando. Dormindo contra minha vontade nas aulas, pah, mas ok. Estudei pra caramba pra primeira prova, saí do estágio pra ter mais tempo pra estudar, tudo tava conforme os planos. Acabei estudando mais do que deveria, na minha opinião. Fiz a prova super tranquila, achando até que tinha ido bem.

E então, 1,5.

Isso me deixou profundamente abalada.

 

 

Aí então eu marquei minha primeira sessão de psicóloga. Eu estava muito abalada com minha nota, estava chorando por quase tudo que tava acontecendo na minha vida (tudo mesmo), acabei me afastando de todos meus amigos (exceto o Veterano, mas ele é meu namorado), enfim. Chegando lá, a primeira coisa que ela fala, depois que contei que além de eu estar triste pra caramba, era desse troço do sono, ela:

-Minha filha, você deveria ter procurado um neurologista primeiro.

A partir daí eu acho que ignorei tudo o que ela falou porque não lembro de nada na conversa. Como ela falou que eu deveria primeiro ter procurado outra moça, eu presumi que continuar com aquelas sessões eram inúteis.

Continuando a vida, eu estava fortemente ainda tentando estudar pra oac e fazer meu processador. Com muito esforço eu fiz uma ula, um banco de registradores e aí fui fazer a memória.

 

Ah sim, eu esqueci de falar que o monitor, que é amigo do Veterano, já não aguentava mais eu ir nos plantões dele e mandou eu ir estudar sozinha, o que acho mais que válido. O professor falava que eu tinha que procurar o monitor pra tirar minhas dúvidas.

 

Sozinha eu não tava conseguindo fazer o que eu precisava fazer pra memória funcionar. Tirando 1,5 na primeira prova, eu tinha que tirar 8,5 pra passar na segunda. Se eu tinha estudado até mais do que achava que precisava pra primeira prova, e o segundo conteúdo eu não estava entendo, e ainda tinha que fazer o processador funcionar, então…

Então o que eu tinha que fazer? Trancar o semestre.

 

 

Porém eu não fiz isso, porque, fora essa matéria, muitas coisas legais estavam acontecendo na minha vida acadêmica.

Eu finalmente decidi meu trabalho de graduação, que estou orgulhosa até. Apesar de focar educação, envolve muita coisa teórica da computação mesmo e é uma ferramenta útil. A PlayCB. Ela é uma api voltada para programadores inexperientes fazerem coisas legais com OpenGL, isso sem saber um tiquinho de opengl. Eu fiz ela baseada no meu primeiro semestre de cic na unb e o que eu queria ter aprendido e como queria ter aprendido.

Tem dado bastante certo. Dois professores aplicaram a PlayCB este semestre e só recebi elogios e muitas ideias do que mais ela pode fazer. Um professor quer levar meu projeto pra wPós, que este ano em especial abriu vagas pra alunos de graduação, e outro quer levá-la pro próximo CSBC. Ou seja, eu me senti mega importante com essas coisas e hiper feliz. Não só isso, como eu saí do estágio, o amigo do Veterano (o mesmo monitor de oac), achava que eu era quem mais merecia tutoria de Computação Básica (uma vez que a PlayCB é voltada justamente pra alunos de Computação Básica) e correu atrás de um monte de professor pra eu conseguir a bolsa, mesmo que eu não cumprisse todos os requisitos (precisava de notas altas no boletim, que é uma coisa que eu não tenho ) e, no final das contas, ele conseguiu essa bolsa pra mim.

Ou seja, no que eu acho que seja minha área, Computação Gráfica + um tiquinho de educação, tem tudo andando tão bem que me desmotivou a trancar esse semestre, por mais que eu precisasse de verdade passar em oac.

 

 

Apesar que agora só me resta passar no vestibular de novo, porque não consigo me formar no máximo de tempo de permanência na unb, se passar agora em todas as matérias.

Quando chegar no 14º, eu tranco a unb por 1 ou 2 semestres, estudo num pré-vestibular, aí eu acho que passo. Matemática pesa bastante pra cic e eu acho que quase gabaritei esta parte no último vestibular, se não fosse pela probabilidade e números complexos.

 

Ou posso simplesmente fazer um kickstarter de salada de batata.

 

Mudando completamente de assunto, pra finalizar, o Onigiri tá em hiatus para manutenção, e eu já fiz toda a parte de programação dele (a que envolve mexer com banco com as novas funcionalidades dele e a parte do php). Só falta o css, aquele ordinário.